SINCODIV/SE - Sindicato dos Concessionários e Distribuidores de Veîculos do Estado de Sergipe.

NotíciasSaiba tudo que acontece no setor.



Out 02 2014

Ainda incipiente, oferta de carro verde se multiplica

  •  Quinta, 02 de Outubro de 2014.

Ainda restrito a alguns poucos países, os "veículos verdes", também chamados genericamente de carros elétricos, devem se tornar uma realidade mundial até 2020, prevê a montadora sul-coreana Hyundai. A expectativa é que esse mercado seja de oito milhões de unidades por ano até 2020, o que representaria 7,6% do mercado total. Os veículos híbridos devem ser a maioria, com outras tecnologias, como o hidrogênio, crescendo gradualmente.

"O que vai gerar essa mudança são as regulações dos países (...) Cada um dos tipos de veículos verdes terá seu mercado. Nenhum deve predominar. Para ter sucesso temos que ter todos os modelos", diz o engenheiro de pesquisa sênior da Hyundai Motor Group, Sae Hoon Kim. "Vamos ter diferentes cenários dependendo do país", completa Kim.

No ano passado foram comercializados 1,74 milhões veículos híbridos em todo o mundo. Apesar de o número ainda ser pequeno em relação às vendas totais, comenta ele, houve um crescimento de 10%. O Japão tem puxado o resultado de um mercado que tem a Toyota como maior montadora, com 68% de market share. Depois vêm a Honda com 10%, Ford, com 5% de participação, Kia/Hyundai com 4% e Renault Nissan, também com uma fatia de 4%.

A Hyundai já desenvolveu cinco modelos de "carros verdes", entre eles o ix35 Fuel Cell, movido a hidrogênio. Este ano foram produzidas 200 unidades. A montadora planeja novos modelos, entre eles um Sonata PHEV (um híbrido com possibilidade de recarga na tomada) no ano que vem e outros dois em 2016 — mais um fuel cell e um híbrido.

Segundo Kim, um dos entraves para a expansão do ix35 Fuel Cell, uma das apostas da Hyundai, ainda é a carência de estações de abastecimento, inclusive na Coreia do Sul, seu país de origem. Entretanto, o governo japonês já constrói suas unidades e o governo da Califórnia (Estados Unidos) aprovou uma lei que prevê US$ 20 milhões por ano para a construção dessas estações. Diferente de outros países, em que a maioria das compras são feitas por órgãos governamentais, nos EUA praticamente a metade dos "carros verdes" pertencem a pessoas comuns. Lá o modelo sai por US$ 150 mil, mas pode ser adquirido por leasing com parcelas de US$ 499.

Fonte:Brasil Econômico