SINCODIV/SE - Sindicato dos Concessionários e Distribuidores de Veîculos do Estado de Sergipe.

NotíciasSaiba tudo que acontece no setor.



Ago 12 2016

Audi desenvolve amortecedor que recupera energia

  •  Sexta, 12 de Agosto de 2016.

Não de hoje que a indústria automotiva vem trabalhando em sistemas que possam atenuar a perda de energia nos veículos ou mesmo recuperá-la. O kers, acrônimo em inglês para sistema de recuperação de energia cinética, surgiu na década passada como bom exemplo desse esforço dos engenheiros: o dispositivo preserva e armazena parte da energia cinética gerada na frenagem e que normalmente se perderia na forma de calor.

A Audi agora dá outra importante colaboração nesse campo. A empresa, que argumenta que a recuperação de energia terá importância crescente no futuro da mobilidade, apresentou nesta semana protótipo de sistema de suspensão batizado eROT e no qual amortecedores rotativos eletromecânicos substituem os convencionais hidráulicos.

O princípio é simples, explica Stefan Knirsch, membro do conselho para desenvolvimento técnico da montadora: "Cada buraco, lombada ou curva, induz energia cinética no veículo. Os amortecedores atuais absorvem esta energia, que é imediatamente perdida ao ser transformada em calor. Com os novos amortecedores eletromecânicos, acoplados ao sistema elétrico de 48 volts, podemos utilizar esta energia".

O sistema eROT converte energia cinética em elétrica tanto no ciclo de amortecimento como durante o estiramento. Para isso, um braço mecânico absorve o movimento do cubo das rodas e a transmite, por meio de uma série de engrenagens, para o motogerador, que a converte em eletricidade.

O resultado dessa recuperação é de 100 a 150 watts, em média, obtido durante os testes em ruas e rodovias alemãs — entre 3 watts em rodovias bem pavimentadas a até 613 watts em vias secundárias de piso irregular. Nas condições de uso diárias tradicionais, isso corresponde a uma diminuição na emissão de CO de até 3 g/km.

O sistema, afirma o executivo, também permite muito mais possibilidades de ajustes da suspensão. Ativamente controlada, ela se adapta às irregularidades da superfície e ao estilo do condutor.

Outra vantagem do novo sistema é sua geometria. Os motogeradores instalados horizontalmente no eixo traseiro substituem os amortecedores telescópicos verticais, o que permite um ganho adicional de espaço no porta-malas.

A Audi já dá como certa a utilização comercial do eROT no futuro. O pré-requisito para tanto é um sistema elétrico de 48 volts, componente central na estratégia da Audi. Em sua próxima versão, a ser apresentada já no ano que vem, o sistema elétrico de 48 volts servirá como sistema primário em um novo modelo da Audi e alimentará uma tração híbrida de alto desempenho.

Fonte: Boletim Autodata - Tecnologia São Paulo