SINCODIV/SE - Sindicato dos Concessionários e Distribuidores de Veîculos do Estado de Sergipe.

NotíciasSaiba tudo que acontece no setor.



Jul 27 2015

Segmento de autos prevê melhora

  •  Segunda, 27 de Julho de 2015.

Com a virada do semestre, a previsão do setor de automóveis no Brasil melhorou, ainda que timidamente. Dados da Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores) apontam 1,27 milhão de veículos produzidos na primeira metade do ano, ante 1,56 milhão de unidades produzidas no mesmo período do ano passado, uma queda de 18,5%. Depois do momento de retração, no entanto, a entidade prevê, ainda para este ano, um “leve crescimento”, que deverá engrenar no segundo tri mestre de 2016.

Para Luiz Moan Yabiku Junior, presidente da Anfavea, essa melhora se deve à recente regulamentação do PPE (Programa de Proteção ao Emprego), criado pelo Ministério do Trabalho e Emprego com o objetivo de frear as demissões no país. "Isso pode representar um ponto de confiança do consumidor brasileiro. Hoje o que derruba a confiança é o medo de perder o emprego", acredita. "Com isso, devemos ter uma melhora nas vendas, já que o primeiro semestre foi muito ruim devido ao aumento de custos tributários, alíquotas e insumos de produção como energia elétrica, que aumentaram muito o valor da fabricação”, lembra.

Algumas montadoras, como é o caso da Chevrolet, concordam que o ano tem sido desafiador até aqui, mas também mostram otimismo em relação ao setor. “2015 está sendo bastante desafiador para o mercado automotivo. A Chevrolet, em particular, vem conseguindo manter a liderança no segmento de varejo, que não soma as vendas feitas a frotistas ou a empresas, demonstrando a enorme aceitação da sua nova linha de veículos”, diz Marcos Munhoz, vice-presidente da GM do Brasil.

O executivo lembra que momentos de retração são aqueles que exigem esforço maior de vendas e criatividade. “Por isso lançamos tantas campanhas ousadas recentemente, como a que está oferecendo, de uma só vez, preço de empregado, preço de nota fiscal de fábrica e a troca com troco, além daquela em que a empresa bancava até quatro parcelas do financiamento caso o consumidor perdesse o emprego”, diz. "Boa parte do nosso sucesso também se deve ao bom desempenho comercial da nova linha de produtos. O Onix e o Prisma logo se transformaram nos modelos mais vendidos da marca”, pontua.

A empresa prepara, ainda para este ano, lançamento de tecnologias inéditas no Brasil, que na visão da multinacional permanece como um dos maiores mercados automotivos do mundo. De acordo com Munhoz, e também com a Anfavea, o ajuste fiscal prometido pelo governo para o segundo semestre deverá ajudar a recuperar a confiança do consumidor. “Acreditamos que o ajuste fiscal permitirá ao país recuperar a credibilidade, e o consumidor irá voltar a se sentir mais seguro para adquirir bens duráveis como o automóvel, retomando o ritmo econômico", declara Munhoz.

Com as linhas KA, Fiesta, EcoSport, Focus e Fusion, a Ford teve crescimento em participa çáo na indústria automotiva no Brasil, representando 10,7% de market share no período, um crescimento de 1,3% em relação ao ano passado. No próximo mês, a montadora coloca no mercado o Novo Focus Hatch e o Fo cus Fastback.

"Tivemos um crescimento significativo, mesmo diante dos desafios atuais do mercado. Estamos em plena realização da campanha dos nossos dois grandes lançamentos de 2015. Nossas ações reforçam o fato de que nós acreditamos no crescimento do Brasil no médio e longo prazo”, ressalta Oswaldo Ramos, gerente geral de marketing da Ford.

Para os dois lançamentos, o executivo diz que a empresa in veste em uma ação de respeito ao consumidor, criada objetivando a fidelização. "Para os proprietários dos modelos 2014/2015, criamos uma condição de venda exclusiva, oferecendo um desconto na compra do novo modelo. A oferta será válida por três meses, dentro de um sistema de pré-venda. O desconto não está condicionado à venda do veículo usado e quem adquiriu o veiculo financiado também tem a opção de carregar o financiamento para o modelo novo", explica o executivo, revelando que a empresa aumentou também o investimento em mídia digital para se aproximar do consumidor "que, cada vez mais, tem pesquisado a compra do seu novo carro na internet”.

Na mesma linha otimista, e visando conquistar a confiança do consumidor, a Volkswagen acaba de colocar no ar a campanha "volkswagen#vale” que além de filme para TV reúne peças para impresso, digital, rádio e mídia exterior. O objetivo é reforçar a tecnologia e a durabilidade dos veículos da marca e, assim, conquistar clientes que ainda se sentem inseguros.

PESQUISA

Com a ascensão do digital entre os mais diferentes tipos de anunciantes, inclusive do setor automotivo, surgem formas de potencializar o uso do meio para levar o consumidor até o ponto de venda, onde, neste caso específico, irá concretizar a compra. Uma pesquisa realizada pela Rocket Fuel revela que o melhor call to action para este mercado é o apelo "Construa você mesmo”. Segundo o estudo, propagandas em que os consumidores têm a chance de personalizar o veículo são 106% mais eficazes do que a média. Já a utilização de termos como "Compre agora” aumentam a eficácia da campanha em 40%, enquanto que "Encontre o seu” aumentam em 12% e "Detalhes do veículo", em 4%.

"A mídia digital vai de encontro a esse momento que o Brasil está passando, é um formato de mídia que tem uma aferição melhor do que está sendo investido. Com a mídia programática você consegue fazer testes, mu dar as campanhas se necessário, e ter melhores resultados",orienta Edvaldo Acir, diretor geral da Rocket Fuel para o Brasil e América Latina. "Já existem tecnologias que podem ajudar bastante as empresas a criar um call to action realmente eficiente, que leve o consumidor até uma concessionária”, adianta o executivo.

Segundo Acir, o Mobile Lo cal Lift, novo serviço da Rocket Fuel que funciona com geolocalizaçáo, é uma dessas tecnologias diferenciais que em breve estará disponível no mercado brasileiro. "Com o Local Lift você pode, por exemplo, criar uma campa nha em que o usuário que passou perto da concessionária, e foi impactado, receberá uma oferta ou um convite para test drive no celular", comenta.

Em 2014, os anúncios com tecnologia de geolocalizaçáo da Rocket Fuel ganharam o mercado nos Estados Unidos e tiveram aumento de 41,34%, o que representou mais de 593 milhões de publicidade móvel no país.

Fonte: Jornal Propaganda & Marketing